Citador

31 outubro, 2007

A vida é injusta!!!

video

Quando uma galinha faz a diferença,

«Se queremos crescer temos de ir onde há mais capacidade de produção, ou seja, onde há mais galinhas", afirmou ao DN Amândio Santos, director-geral da Derovo. O problema é a escassez de galinhas nacionais. "Enquanto Portugal tem seis milhões, Espanha tem 45 milhões", frisou. »
In DN 31-10-2007


Bem que me parecia que os gajos lá em Espanha enfiam mais o dedo para ver se há ovo... LOLOLOLO

31 de Outubro de 1886 - Inaugurada a Ponte D. Luiz I

Constituída por dois tabuleiros metálicos, que se destinavam a fazer a ligação rodoviária entre Vila Nova de Gaia e o Porto. Tem de comprimento cerca de 395 metros e de largura 8 metros, compostos por 5,5 metros de faixa de rodagem e 1,25 metros de passeios.
A obra foi adjudicada a 28 de Novembro de 1881, por concurso aberto e foi o engenheiro Teófilo Seyrig quem ficou encarregado pelo projecto.
A construção desta ponte permitia a passagem da estrada real vinda de Lisboa até às províncias do Norte e do Norte do País, tendo constituído umas das obras de maior envergadura no plano rodoviário realizado pelo monarca, Luiz I.
A ponte D.Luiz, construída ao lado do local onde existiu a antiga Ponte Pênsil tem os dois tabuleiros sustentados por um imponente arco de ferro e por cinco pilares.
O arco é formado por duas curvas parabólicas divergentes. O tabuleiro superior apoia-se nos encontros de cantaria e nos três pilares de cada margem do rio. Na sua totalidade foram gastos 3000 toneladas de ferro, sendo que deles 172 metros são de corda e 45 metros são de flecha, componentes do arco da ponte.
O tabuleiro superior foi inaugurado a 31 de Outubro de 1886, dia do aniversário natalício de el-rei D. Luiz, ao qual assistiram, para além das autoridades governamentais, as autoridades municipais administrativas e religiosas da cidade do Porto e de Vila Nova de Gaia.

30 outubro, 2007

Para Flávia, uma victima do imobilismo e do coma em que vive a nossa sociedade.

''Venho convidar-vos a visitarem um blogue sério e humano. Um local onde se encontra uma história de vida fantástica, de Odele Sousa e sua filha Flavia, em coma vigil. "Sorrir é sempre possível ''(...)

Palavras de Mario Relvas do Blog Aromas de Portugal,

Visite o sitio da Flavia aqui, e porque não, divulgue.

30 de Novembro -- dia de Morrigan

Morrígan ("Terror" ou "Rainha Fantasma"), também escrita Mórrígan ("Grande Rainha") (aka Morrígu, Mórríghean, Mór-Ríogain) é uma figura da mitologia irlandesa (céltica) que aparenta ser uma divindade, embora não seja referida como "deusa" nos textos antigos.
Representado comumente como uma figura terrível, nas glosas dos manuscritos medievais irlandeses como uma equivalente a Alecto - uma das Fúrias na mitologia grega - de fato, um dos textos refere-se a Lamia como "um monstro de formas femininas,uma Morrigan"
Associada com a guerra e a morte no campo de batalha, algumas vezes é anunciada com a visão de um corvo sobre carcaças, premonição de destruição ou mesmo com vacas. Considerada uma divindade da guerra, comparável às Valquírias da mitologia germânica, embora sua associação com o gado bovino permita também uma ligação com a fertilidade e o campo.
É com freqüência vista como uma divindade trinitária, embora as associações desta tríade variem: a mais freqüente dá-se de Morrígan com Badb e com Macha - embora algumas vezes incluem-se Nemain, Fea, Anann e outras.

Oh, up yours, 'senor' Tony, and go drink some tea

Uma entrevista do embaixador António Santana Carlos ao The Times levou um colunista do tablóide Mirror a atacar as suas posições, classificando-o como «um comedor de sardinhas» e referindo-se à polícia portuguesa como «estúpida e cruel»
(...)
O embaixador português em Londres, António Santana Carlos, foi alvo de comentários jocosos e xenófobos, depois de, em entrevista ao The Times, se ter mostrado preocupado com a troca de acusações entre portugueses e ingleses e de ter criticado os McCann por terem deixado Madeleine e os gémeos sozinhos, enquanto jantavam com amigos.
(...)
Num artigo intitulado Oh, Up Yours Senor (qualquer coisa como: «Oh, Meta-o no …, Senhor»), Parsons afirma que os responsáveis pela deterioração das relações entre Portugal e o Reino Unido são os investigadores da Polícia Judiciária, que o jornalista classifica como «espectacularmente estúpidos e cruéis».
(...)
Ao embaixador português, Tony Parsons sugere que «se no futuro não conseguir dizer nada construtivo sobre o desaparecimento da pequena Madeleine, mais vale manter fechada a sua estúpida boca de comedor de sardinhas».

Ao The Times, o embaixador Santana Carlos fez questão de frisar que «Portugal é um país seguro, mais seguro do que a Grã-Bretanha», onde existe um número muito reduzido de crianças desaparecidas.
(...)
In Sol
«»
E se de repente um jornalista português viesse a público atacar o embaixador do ilhéu britânico?
Com toda a certeza cairia o Carmo e a Trindade, ou melhor o Big Ben e o palácio real!!!
Não sei o que de bom vem deste povo, que alem da secular violência, com toda a certeza inerente aos seus genes, e que só há muito pouco tempo descobriram os benefícios de um bom banho!!
Como é lógico não coloco no mesmo saco todo o império britânico, mas que alguns súbditos de sua majestade mereciam umas chibatadas, mereciam. Este senhor, o tal TOKAREV, que de jornalista tem muito pouco, e que a falta de chá o coloca a escrever crónicas secundárias em tablóides secundários, deveria aprender um pouco de boas maneiras, talvez começando por aprender a se respeitar para se poder fazer respeitar. Nunca um editor de um jornal, qualquer que seja a sua dimensão, deveria permitir que tais crónicas fossem publicadas, sabendo que estas ofendem directamente, pessoas respeitáveis e indirectamente uma nação soberana.
Até quando os nossos políticos de meia tigela, vão deixar que estes estrangeiros, ‘sem tigela nenhuma’, enxovalhem publicamente o bom-nome de Portugal. Não sei, mas como secularmente comprovamos, pelos ingleses, e por arrasto pelos europeus em geral, sempre fomos tidos como um povo menor.
Não terá chegado a altura de por um ponto final nisto tudo??
Meus senhores, um representante de Portugal foi enxovalhado por ter colocado alguns ‘pontos nos i’s’ a esses Ilhéus, que a única coisa que souberam fazer por este mundo foi roubar o que os outros construíram, julgo que está na altura de alguém de direito neste país encostar esses senhores contra a parede.
Que seja exigido um pedido de desculpa, publico e formal por parte desse ‘bebedor de chá’ ambulante que nem sequer consegue diferenciar a língua Portuguesa da Castelhana, sim porque por cá escrevemos senhor e não senor, como em Castela. Possivelmente o seu nivel cultural não permite atingir tal nível…
Comedores de sardinhas... como dizia alguém que viveu muitos anos no meio destes britânicos xenófobos, E ESTA, HEM!!!
»«
«OH, UP YOURS, SENOR


Portugal's ambassador to Britain, Senor Antonio Santana Carlos, says that the Madeleine McCann case has seriously damaged relations between the two countries. Well, whose fault is that?
It is the fault of the spectacularly stupid, cruel Portuguese police. I have never much cared for the convention of calling cops "pigs" or "filth", but I am happy to make an exception.
They have tried to cover their humiliation at coming nowhere close to finding that stolen child by fitting up her parents.
The decline in relations is also the fault of the appalling Portuguese media, happy to print any piece of poisonous trash spoon-fed to them by "police sources" treating the abduction of a small child as light entertainment.
And the Portuguese public must also take their share of the blame. The sight of locals jeering at Kate McCann as she went in for questioning made me feel as though these leering bumpkins were not from another country, but another planet.
And the good ambassador can also be blamed for the decline in relations.
When he should be exercising a little diplomacy, he huffs and he puffs about the McCanns' tragic decision to leave their children sleeping alone on the night Madeleine was stolen.
"In Portugal we have the concept of a nuclear family," sniffs Senor Carlos. "That the families all live together."
They made a mistake, ambassador. Their lives have been wrecked. That is punishment enough, without your asinine, unwanted comments.
And I would respectfully suggest that in future, if you can't say something constructive about the disappearance of little Madeleine, then you just keep your stupid, sardine-munching mouth shut. »


29 outubro, 2007

Petroleadas e escorregadelas.


O tipo lá dizia que o petroleo chegaria aos $100, já vai nos 90... Ele lá sabia...

Confusão Millenar...

Que grande conFUSÃO paira lá para as bandas do Millenium, Ou será todo este espectaculo para encapotar outros problemas???


Bem se fica lá pelas bandas do BES, sim porque já controla 20% do mercado português, e quase ninguém deu por nada...

30 de Outubro de 1340 - Batalha do Salado


A Batalha do Salado foi travada a 30 de Outubro de 1340, entre Cristãos e Mouros, junto da ribeira do Salado, na província de Cádis (sul de Espanha).

Abul-Hassan, rei de Fez e de Marrocos, aliado com o emir de Granada, decidira reapossar-se a todo o custo dos domínios cristãos, e as forças muçulmanas já haviam entrado em acção contra Castela. A frota do prior de S. João do Hospital, almirante castelhano, que tentara opor-se ao desembarque dos mouros, foi completamente destroçada por uma tempestade, e esse desastre obrigou Afonso XI de Castela a humilhar-se, mandando pedir à esposa - a quem tanto desrespeitara com os seus escandalosos amororos com Leonor de Gusmão - que interviesse junto de seu pai, o rei português Afonso IV de Portugal, para que este enviasse uma esquadra de socorro.

Estava D. Maria recolhida num convento em Sevilha e, apesar dos agravos que sofrera, acedeu ao pedido. Todavia, Afonso IV, no intuito de humilhar ainda mais o genro, respondeu ao apelo dizendo, verbalmente, ao enviado da filha, que se o rei de Castela precisava de socorro o pedisse directamente. Vergando o seu orgulho ao peso das circunstâncias, Afonso XI de Castela repetiu pessoalmente - por carta - o pedido foi feito, e o soberano português enviou-lhe imediatamente uma frota comandada pelo almirante genovês Manuel Pessanha (ou Pezagno) e por seu filho Carlos. Mas era cada vez mais desesperada a situação de Afonso XI, a quem o papa censurava asperamente.

Além da frota portuguesa, Castela recebia um reforço de doze galés cedidas pelo rei de Aragão, mas tudo isto nada era em comparação com o número incontável dos contingentes mouros. O rei de Granada, Yusef-Abul-Hagiag, tomou em Setembro de 1340, o comando das tropas, às quais pouco depois se juntou, em Algeciras, um formidável exército sob as ordens de Abul-Hassan. A ameaça muçulmana era apavorante os mouros, embora repelidos nas primeiras tentativas de ataque a Tarifa, não deixavam prever a possibilidade de vantagens futuras para as hostes cristãs.

Reconhecendo quanto lhe seria útil a ajuda efectiva do rei de Portugal, Afonso XI de novo rogou a intervenção de D. Maria. Esta acedeu uma vez mais e foi-se encontrar com D. Afonso IV, em Évora. O soberano português atendeu as súplicas da filha, e logo esta foi dar a boa notícia a seu marido, que ansioso, a fora esperar a Juromenha.

D. Afonso IV reuniu então em Elvas o maior número possível de cavaleiros e peões, e à frente do exército, que ía aumentando durante o caminho com os contingentes formados em vários pontos, dirigiu-se a Espanha, onde por ordens do genro foi recebido com todas as honras. Em Sevilha, o próprio Afonso XI acolheu festivamente o rei de Portugal e sua filha, a rainha D. Maria. Ali se desfizeram quanto menos momentaneamente, os ressentimentos de passadas discórdias.
Wikipédia.

28 outubro, 2007

28 de Outubro de 1856 - primeira viagem de comboio em Portugal

A 28 de Outubro de 1856, realiza-se a primeira viagem de comboio em Portugal, entre Lisboa e o Carregado, numa altura em que não havia estradas, nem sequer bons caminhos.
A introdução da máquina a vapor em Portugal e a sua aplicação na indústria, sobretudo a partir de 1835, actualizou-se a nossa maneira de produzir. Os Governos constataram que era necessário criar meios de comunicação e transporte eficazes para desenvolver a indústria nacional.
Visando esse desenvolvimento, além de outras medidas, o País cobriu-se de Caminhos de Ferro. Essa política planeada durante os governos de Costa Cabral, que Governou o país de 1842 a 1846 e de 1849 a 1951, foi posteriormente concretizada por Fontes Pereira de Melo.
Foi assim, já durante a vigência do reinado de D. Pedro V "O Esperançoso" (1853-1861) que foi inaugurado, a 26 de Outubro de 1856, o Caminho de ferro com a ligação Lisboa - Carregado (Vala do Carregado).

28 de Outubro - Dia Mundial da Terceira Idade

O Dia Mundial da Terceira Idade foi proclamado pelas Nações Unidas como forma de chamar a atenção do Mundo para a situação financeira, social e afectiva em que se vive nessa faixa etária. Apenas uma pequenissima parcela da população idosa aufere rendimentos suficientes para levar uma existência minimamente aceitável. A maioria, infelizmente, passa bastantes dificuldades, competindo aos filhos suprir as necessidades económicas dos pais quando estes atingem uma idade avançada e, sobretudo, distribuir-lhes carinho idêntico àquele que deles receberam enquanto foram jovens. As crianças, por sua vez, deverão respeitar e valorizar o papel dos avós na vida familiar. Socialmente, nada há mais triste que abandonar idosos em lares, não permitindo a cooperação e a partilha de saberes entre as diferentes gerações. Conta-se que, há muitos anos, numa terra longínqua, sempre que alguém atingia uma idade avançada, o seu filho entregava-lhe um cobertor e abandonava-o num monte, onde ficava a aguardar a morte. Certo dia, um idoso, ao chegar a sua vez de ser deixado no referido monte, devolveu o cobertor ao filho, dizendo-lhe: "fica com ele, assim já terás dois cobertores para te aqueceres quando também chegar a tua vez de para aqui vires". Só então o filho se apercebeu de quão terrível era aquele costume e trouxe o pai de volta ao seio familiar.

27 outubro, 2007

27 de Outubro de 2007 - Morre Beatriz de Castela, Rainha de Portugal.

Beatriz de Castela e Gusmão ou Beatriz de Castilla y Guzman (1242 - 27 de Outubro de 1303), princesa de Castela , rainha de Portugal, entre 1253 e 1279 e rainha-mãe de 1279 a 1303.
Beatriz era filha do rei Afonso X, o Sábio, de Castela (que mais tarde reinaria também como Imperador Romano-Germânico) e de Maior Guillen de Guzmán. Beatriz era neta materna de D. Maior Gonzalez Giron e de D. Guillén Peréz de Guzman. O rei Sancho IV de Castela era seu meio-irmão.
Em 1253 casou-se com o rei D. Afonso III, primo direito do seu avô, o rei Fernando III de Leão e Castela (1201-1252) ( pois a mãe de Fernando, a infanta Berengária de Castela era irmã de Urraca de Castela, rainha de Portugal (1186-1220), esposa de Afonso II de Portugal e mãe de Afonso III), (após este haver repudiado a sua primeira esposa Matilde de Bolonha) e tornou-se rainha de Portugal.
As rainhas de Portugal contaram, desde muito cedo, com os rendimentos de bens, adquiridos, na sua grande maioria, por doação. D. Beatriz, mulher de D. Afonso III, deteve, por doação deste último, Torres Novas, Alenquer e, posteriormente, o respectivo padroado.

26 outubro, 2007

26 de Outubro de 1980 - Morre Marcello Caetano.



A 26 de Outubro de 1980, morre, no Brasil, Marcello José das Neves Alves Caetano. Foi o último Presidente do Conselho do Estado Novo, tendo sido deposto pelo levantamento militar de 25 de Abril. Doutorado em Direito, foi, para além de político, professor e historiador.

25 outubro, 2007

A primeira mulher na lua...

video

Cirque du Soleil - 25 anos

Nhaa!! Só acontece aos outros.


free videos

25 de Outubro de 1415 - Batalha de Azincourt (uma das batalhas da guerra dos 100 anos)

Batalha inscrita na guerra dos Cem Anos travada a 25 de Outubro de 1415, entre o exército inglês de Henrique V e as forças francesas de Carlos d'Albret, após um momento pouco feliz para o debilitado exército inglês, que se dirigia para Calais, preparando-se para regressar a Inglaterra. Esta batalha opôs, nos dois bosques de Azincourt e Tramecourt, perto de Saint-Pol (Artois), o exército feudal francês, que tentou derrubar em Calais o rei inglês Henrique V e as forças inglesas. Tal como Crecy e Poitiers, a Batalha de Azincourt significou um novo desastre para o aventureiro exército francês, desprovido de uma táctica eficaz.A desproporção numérica, ao que parece 25 000 franceses contra 6000 ingleses, fez sobressair a vitória inglesa e mostrou a superioridade do seu sistema militar tanto nas vozes de comando como no armamento.A nobreza francesa que interceptara o exército britânico era composta de um contingente de cavalaria armada e infantaria, o que se tornou uma enorme desvantagem uma vez que antes da batalha ocorreram chuvas torrenciais. Os franceses tiveram de se bater com o excesso de peso das suas armas, o terreno barrento e estreito e com uma evidente falta de táctica dos seus superiores que viam a batalha como um grande torneio. A táctica inglesa era elementar mas racional; uma rodada dos archeiros era suficiente para ditar um resultado favorável aos ingleses. A cavalaria francesa era um alvo fácil para os archeiros ingleses, os célebres longbowmen, e os soldados que combatiam a pé também acabaram por ser esmagados.D'Albret, inúmeros duques e condes franceses, cerca de 500 membros da aristocracia francesa, foram mortos em combate, juntamente com 5000 soldados. As perdas inglesas foram comparativamente menores, perfazendo um total de 200 homens, incluindo o duque de York e o conde de Suffolk.Henrique V voltou a Inglaterra após o termino do conflito, ocorrido no dia de S. Crispim, garantindo a dominação inglesa de uma grande parte da França e com a satisfação de ter humilhado a estratégia militar feudal utilizada pelos franceses.

24 outubro, 2007

Eu sou do tempo ...

24 de Outubro de 1147 - Tomada de Lisboa aos Mouros.


O primeiro cerco de Lisboa, com início a 1 de Julho de 1147 e que durou até 25 de Outubro, e foi um episódio integrante do processo de Reconquista cristã da península Ibérica, culminando na conquista desta importante cidade aos mouros pelas forças de D. Afonso Henriques (1112-1185) com o auxílio dos Cruzados em trânsito para o Médio Oriente. Efetivamente, este episódio constituiu o único sucesso da Segunda Cruzada.
A armada chegou à cidade do Porto a 16 de Junho, sendo convencidos pelo bispo do Porto, Pedro II Pitões, a tomarem parte nessa operação militar. Após a conquista de Santarém (1147), sabendo da disponibilidade dos Cruzados em ajudar, as forças de D. Afonso Henriques prosseguiram para o Sul, sobre Lisboa.
As forças portuguesas avançaram por terra, as dos Cruzados por mar, penetrando na foz do rio Tejo; em Junho desse mesmo ano, ambas as forças estavam reunidas, ferindo-se as primeiras escaramuças nos arrabaldes a Oeste da colina sobre a qual se erguia a cidade de então, hoje a chamada Baixa. Após violentos combates, tanto esse arrabalde, como o a Leste, foram dominados pelos cristãos, impondo-se dessa forma o cerco à opulenta cidade mercantil.
Bem defendidos, os muros da cidade mostraram-se inexpugnáveis. As semanas se passavam em surtidas dos sitiados, enquanto as máquinas de guerra dos sitiantes lançavam toda a sorte de projéteis sobre os defensores, o número de mortos e feridos aumentando de parte a parte.
No início de Outubro, os trabalhos de sapa sob o alicerce da muralha tiveram sucesso em fazer cair um troço dela, abrindo uma brecha por onde os sitiantes se lançaram, denodadamente defendida pelos defensores. Por essa altura, uma torre de madeira construída pelos sitiantes foi aproximada da muralha, permitindo o acesso ao adarve. Diante dessa situação, na iminência de um assalto cristão em duas frentes, os muçulmanos, enfraquecidos pelas escaramuças, pela fome e pelas doenças, capitularam a 24 de Outubro.
Entretanto, somente no dia seguinte, o soberano e suas forças entrariam na cidade, nesse meio tempo violentamente saqueada pelos Cruzados.
Decorrente deste cerco surgem os episódios lendários de Martim Moniz, que teria perecido pela vitória dos cristãos, e da ainda mais lendária batalha de Sacavém.

23 outubro, 2007

Oh! Europa!! Europa!!!


É, Outono.


REN cede !!!

«Num comunicado enviado à Lusa, Artur Lourenço, director coordenador da REN, afirma que a empresa “tomou hoje (ontem) conhecimento de um despacho do secretário de Estado do Ambiente concordando com um novo traçado para a linha que tem em conta a diminuição do impacto sobre a zona onde foram recentemente encontrados vestígios arqueológicos”. “Assim, a REN fica a aguardar autorização para aquele novo traçado, que já não atravessará Vale Fuzeiros”, garantiu o mesmo responsável.»
In CM 23-10-2007


Meu Deus, ao que isto chegou, A REN cede quando são descobertos vestigios arqueológicos, mas não cede quando está em causa a saude pública!!!! 3XP0RR@, ao estado a que isto chegou !!!

23 de Outubro 1956 - Revolução Hungara

A Revolução Húngara de 1956 foi um levantamento popular espontâneo contra o governo stalinista na Hungria e contra a política imposta pela União Soviética, iniciado em 23 de Outubro de 1956 com uma grande manifestação estudantil que marchou pelo centro da capital Budapeste. No dia 4 de Novembro de 1956, o Exército Vermelho invade a cidade e a resistência organizada chega ao fim, seis dias depois.
O levante húngaro começou em 23 de Outubro de 1956, com uma manifestação pacífica de estudantes em Budapeste. Exigiam o fim da ocupação soviética e a implantação do "socialismo verdadeiro". Quando os estudantes tentaram resgatar alguns colegas que haviam sido presos pela polícia, esta abriu fogo contra a multidão.
No dia seguinte, oficiais e soldados juntaram-se aos estudantes nas ruas da capital. A estátua de Josef Stálin foi derrubada por manifestantes que entoavam, "russos, voltem para casa", "abaixo Gerő" e "viva Nagy". Em resposta, o comitê central do Partido Comunista Húngaro recomendou o nome de Imre Nagy para a chefia de governo.
Em 25 de outubro, tanques soviéticos dispararam contra manifestantes na Praça do Parlamento. Chocado com tais acontecimentos, o comitê central do partido forçou a renúncia de Gerő e substituiu-o por János Kádár.

22 outubro, 2007

É, Outono.


Publicidade enganosa...

«É por demais óbvio que um mestre como eu não pode, nem deve, explicar aqui todas as tácticas de alto rendimento no colchão (seria injusto para vocês… que se perguntariam o que andaram a fazer nos últimos anos… pronto… e eu não quero que se sintam mal), por isso resolvi utilizar a táctica do Cristiano Ronaldo demonstrada neste anúncio ao Banco… não quero fazer publicidade que o BES não me paga para isso.

Ora então o raciocínio é mais ou menos este:

O Cristiano Ronaldo foi pago para estar ali sentado e deitado no colchão, certo!?

Certo.

Pago a peso de ouro, certo?

Certo.

Então rende no colchão, certo?

Certo.

Então, como é que c@r@§0 o gajo diz que não rende no colchão!?
Publicidade enganosa, é o que é!»

Roubado D'aqui

22 de Outubro de 1730 - Consagração da basílica de Mafra

D. João V, rei de Portugal, havia prometido construir uma basílica se a sua esposa, D. Maria Ana Josefa de Áustria, lhe desse descendência. O nascimento da princesa D. Maria Bárbara foi interpretado por este monarca como uma graça divina, pelo que, não olhando a despesas, mandou construir, em Mafra, um enorme edifício composto por uma basílica, um palácio real e um convento com uma das mais belas bibliotecas europeias. Às 7 horas da manhã de 22 de Outubro de 1730, dia em que o rei fazia 41 anos de idade, iniciou-se a festa de consagração da basílica, que se prolongaria até às 7 de manhã do dia seguinte. Foi servido, na ocasião, um banquete popular a 9000 pessoas. As festas acabariam por se estender por mais 7 dias, ao som das melodias dos dois enormes carrilhões mandados vir expressamente de Antuérpia.

21 outubro, 2007

ALERTA!!!

Um dia, quando um homem chegou tarde a casa, cansado e irritado após um dia de trabalho, encontrou, esperando por si à porta, o seu filho de 5 anos.
- Papá, posso fazer-te uma pergunta?
- Claro que sim. O que é?
- Quanto ganhas numa hora?
- Isso não é da tua conta. Porque me perguntas isso?! - respondeu o homem, zangado.
- Só para saber. Por favor... diz lá... quanto ganhas numa hora? - perguntou novamente o miúdo.
- Bom... já que queres tanto saber, ganho 10 euros por hora.
- Oh! - suspirou o rapazinho, baixando a cabeça.
Passado um pouco, olhando para cima, perguntou:
- Papá, emprestas-me 5 euros?
O pai, furioso, respondeu:
-Se a razão de tu me teres perguntado isso, foi para me pedires dinheiro para brinquedos caros ou outro disparate qualquer, a resposta é não! E, de castigo, vais já para a cama. Vai pensando no menino egoísta que estás a ser. A minha vida de trabalho é dura demais para eu perder tempo com os teus caprichos!
O rapazinho, cabisbaixo, dirigiu-se silenciosamente para o seu quarto e fechou a porta. Sentado na sala, o homem ficou a meditar sobre o comportamento do filho e ainda se irritou mais. Como se atrevia ele a fazer-lhe perguntas daquelas? Como é que, ainda tão novo, já se preocupava em arranjar dinheiro?
Passada mais ou menos uma hora, já mais calmo, o homem começou a ficar com remorsos da sua reacção. Talvez o filho precisasse mesmo de comprar qualquer coisa com os 5 euros. Afinal, nem era costume o miúdo pedir-lhe dinheiro. Dirigiu-se ao quarto do filho e abriu devagarinho a porta.
- Já estas a dormir? Perguntou.
- Não, papá, ainda estou acordado. - respondeu o miúdo.
- Estive a pensar... Talvez tenha sido severo demais contigo? - disse o pai. Tive um longo e exaustivo dia e acabei por desabafar contigo. Toma lá os 5 euros que me pediste.
O rapazinho endireitou-se imediatamente na cama, sorrindo:
- Oh, papá! Obrigado!
E levantando a almofada, pegou num frasco cheio de moedas. O pai, vendo que o rapaz afinal tinha dinheiro, começou novamente a ficar zangado. O filho começou lentamente a contar o dinheiro, até que olhou para o pai.
- Para que queres mais dinheiro se já tens aí esse? - resmungou o pai.
- Porque não tinha o suficiente. Agora já tenho! - respondeu o miúdo.
- Papá, agora já tenho 10 euros! Já posso comprar uma hora do teu tempo, não posso? Por favor, vem uma hora mais cedo amanhã. Gostava tanto de jantar contigo...
Por e'mail

A verdadeira mudança...

21 de Outubro 1496 - Nasce João de Barros

n 21-10-1496 m 20-10-1570, João De Barros, Historiador e escritor português, foi feitor da Casa da Índia (23/12/1533 a 12/08/1567).

Filho natural de Lopo de Barros, corregedor da comarca do Alentejo em 1499, nasceu possivelmente em Viseu, ou em Braga. Moço do Guarda-roupa do príncipe D. João, futuro D. João III, foi nomeado em 1525 tesoureiro das Casas da Índia, Mina e Ceuta, e em 1533 foi nomeado feitor das Casas da Guiné e Índias, cargo que exerceu até 1567. Na época que mediou as nomeações, viveu em Pombal, fugindo da peste que assolou Lisboa em 1530 e evitando as consequências do grande terramoto de 1531 que destruiu a capital.

Em 1535, quando foram criadas as capitanias brasileiras, D. João III doou-lhe uma das doze criadas, com cinquenta léguas de largura ao longo da costa, na foz do Amazonas. Decidiu equipar uma expedição para ocupar o território doado, com o apoio de Aires da Cunha e Álvares de Andrade, outros dois beneficiados com capitanias, que terá sido composta por dez embarcações, com novecentos homens, sob o comando do primeiro dos capitães. A frota saiu em fins de 1535, dirigindo-se para o norte do Brasil mas foi destruída na barra do Maranhão, tendo a maior parte dos participantes sido morta. Este desastre deixou João de Barros bastante empobrecido.

Em 1556 organizou nova expedição ao Maranhão, em que participaram dois dos seus filhos, que, se foi mais feliz, porque conseguiu regressar, depois de ter combatido com corsários franceses e índios, não conseguiu cumprir de novo o objectivos de criar condições para a colonização da capitania.

20 outubro, 2007

AI!Ai!Aiiiiiii!!!! Valha-me 'nocha Chenhora' de FÁTIMA...


Mas nós entendemos, Sr Primeiro.

«Numa altura em que ainda estavam ligados os microfones na sala da conferência de imprensa da presidência, quando ao início da madrugada foi anunciado acordo sobre o tratado, Sócrates voltou-se para Barroso e exclamou descontraído: "Porreiro, pá!". Os jornalistas estrangeiros precisaram da ajuda dos colegas portugueses para tentar perceber qual a melhor forma de traduzir aquela expressão. À chegada para o último dia da cimeira, no início da manhã de ontem, Sócrates disse que "foi uma noite bem passada". »
In DN 20-10-2007

19 outubro, 2007

Santa porreirice...pá.


Porreiro pá!!!
Aprovamos um tratado, que no minimo vai reduzir á sua insignificancia os pequenos paises.

Porreiro pá!!!
Aprovamos um tratado, aprovamos a flexisegurança...

Porreiro pá!!!
Aprovamos um tratado, que vai trazer mais desemprego e maior instabilidade social...

Porreiro pá!!!
Aprovamos um tratado, que só vai beneficiar os grandes paises.

Porreiro pá!!!
Aprovamos um tratado, que se vai chamar tratado de Tordesi.. não de Lisboa, quanta honra. Pá

Pai rico ou um rico pai!!!


Se não tens pais ricos, vai ao BES,Agora se os tens, vai mas é ao Millenium...

19 de Outubro de1947 - A Guerra das saias.

«Desde os 18 centímetros do avançado Christian aos 35 de Worth ou Maggy Rouff, a guerra entre as saias compridas e as saias curtas apenas começou».
Nos anos quarenta do século passado, Paris era a capital da Moda. Estilistas como Coco Chanel e Christian Dior ou casas ligadas à moda como a Worth e a Maggy Rouff, fundadas respectivamente por Charles Frédéric Worth e Maggy Besançon de Wagner, apresentavam novos modelos que se diferenciavam, entre outros aspectos, pelo comprimento e a largura das saias. Contrariando a moda prática de Chanel, basicamente composta por saias amplas quase até os tornozelos e cinturas bem marcadas, Christian Dior apresenta, em 1947, a sua primeira colecção constituída por saias rodadas e compridas, cintura fina, luvas e sapatos de saltos altos. A mulher voltava a ser feminina e elegante. Esta moda, designada "New Look", tinha por principal modelo o "tailleur Bar", cuja imagem se apresenta à esquerda, e que era constituído por um casaquinho de seda bege cingido na cintura e uma ampla saia preta plissada quase na altura dos tornozelos. Luvas, sapatos de saltos altos e chapéu completavam este figurino que haveria de definir o padrão dos anos 50.
Fonte: Diário Popular n.º 1817, de 19-10-1947, pp. 1 e 12

18 outubro, 2007

Um Outonal, feliz por de sol...


Estamos todos de acordo.....


27 Flex-inseguranças


Quem perder o trabalho, por causa da aplicação deste modelo, não deve temer o desemprego, explicam os defensores do conceito. Porque quem ficar desempregado irá receber um subsídio tão generoso que lhes permitirá manter o nível de vida que tinham quando estavam empregados. Além disso, ser-lhes-á prestada assistência na procura de um trabalho e ser-lhes-á dada formação profissional...

18 de Outubro de 1807- (guerra peninsular) Junot entra em Espanha

Sob o comando do General Junot, as tropas francesas entraram na Espanha em 18 de Outubro de 1807, cruzando o seu território em marcha acelerada em pleno inverno, e alcançando a fronteira portuguesa em 20 de Novembro. Sem encontrar resistência, uma coluna de tropas invasoras atingiu Abrantes a 24, em busca de provisões. Faminto e desgastado pela marcha e pelo rigor do inverno, o exército francês teve dificuldade para ultrapassar o rio Zêzere, entrando em Santarém a 28, de onde partiu no mesmo dia, rumo a Lisboa, onde entrou a 30, à frente de dois regimentos em mau-estado. Três dias antes, a Família Real e a Corte portuguesa haviam largado ferros da barra do rio Tejo, rumo ao Brasil, levando em 34 navios de guerra portugueses, cerca de 15.000 pessoas, deixando o governo de Portugal nas mãos de uma regência, com instruções para não "resistir" aos invasores.

17 outubro, 2007

Mariza no programa de David Letterman. Sem comentarios

17 de outubro de 1989-Terramoto de San Francisco, EUA

Em 17 de outubro de 1989, San Francisco foi atingido pelo Terremoto de Loma Priesta, que alcançou 7,1 na escala Richter. Além de causar danos extensivos em duas das principais vias expressas da cidade (que não foram reconstruídas), o terremoto causou a morte de 12 pessoas na cidade, destruiu 60 edifícios e causou danos e prejuízos na ordem dos três bilhões/mil milhões de dólares. Porém, muitas das estruturas da cidade continuaram intactas. A principal razão é que muitos deles foram planeados e construídos especialmente para resistir a abalos sísmicos.

16 outubro, 2007

Um verdadeiro banco de familia...


«BCP anula dívida de filho de Jardim Gonçalves

O BCP perdoou, em 2004, cerca de 15 milhões de euros de créditos ao Grupo V, um conjunto de sociedades de que era sócio Filipe Vasconcelos, filho do então presidente executivo do banco, Jardim Gonçalves. Fonte do banco garantiu ao SOL que não houve qualquer favorecimento familiar e que o caso seguiu os procedimentos que são adoptados na relação com qualquer outro cliente.»

No SOL de 12-10-2007



Por cá tambem acontece...

«Assaltos com recurso à violência, furtos, crimes contra a liberdade sexual. A criminalidade juvenil em Espanha abrange todo o espectro de delitos. Confrontada com o aumento do número de crimes praticados por jovens entre os 14 e os 17 anos - em 2006 ultrapassaram os cem mil e levaram à detenção de 94 945 adolescentes - a polícia espanhola decidiu agora criar uma brigada especial para este género de delito.»
In DN 16-10-2007


Não que eu concorde com a saida prematura dos nossos jovens da escola, mas desculpem lá, estas situações só acontecem porque o nosso sistema de ensino permite que os jovens passem após as aulas, mais de metade do dia sem uma ocupação.

Permite que os nossos adolescentes que não obteem aproveitamento escolar, avancem ano após ano sem uma orientação tecnico-pedagógica, quem tem condições de seguir para o ensino superior, deve avançar. quem o não deseja ou não reune condições, deve seguir cursos tecnicos e ou profissionalizantes.

Ou seja, COLOQUEM ESTES MENINOS A TRABALHAR, podem crer que ficam sem tempo para as outras coisas.


Por outro lado, a nossa sociedade só incentiva á violencia, onde estão os programas televisivos sem violencia???

Os príncepes das Asturias passam a ter as chaves de Beja.


É verdade o ditado popular, confirma-se;

Entrega as chaves ao ladrão que ele não passa do portão!!

ou então;

Se queres a casa guardada, entrega as chaves ao ladrão!!

Antes animal do que...

O meu nome é ""Sara""
Tenho 3 anos
Os meus olhos estão inchados,
Não consigo ver.

Eu devo ser estúpida,
Eu devo ser má,
O que mais poderia pôr o meu pai em tal estado?

Eu gostaria de ser melhor,
Gostaria de ser menos feia.
Então, talvez a minha mãe me viesse sempre dar miminhos.

Eu não posso falar,
Eu não posso fazer asneiras,
Senão fico trancada todo o dia.

Quando eu acordo estou sozinha,
A casa está escura,
Os meus pais não estão em casa.

Quando a minha mãe chega,
Eu tento ser amável,
Senão eu talvez levaria
Uma chicotada à noite.

Não faças barulho!
Acabo de ouvir um carro,
O meu pai chega do bar do Carlos.

Ouço-o dizer palavrões.
Ele chama-me.
Eu aperto-me contra o muro.

Tento-me esconder dos seus olhos demoníacos.
Tenho tanto medo agora,
Começo a chorar.

Ele encontra-me a chorar,
Ele atira-me com palavras más,
Ele diz que a culpa é minha, que ele sofra no trabalho.

Ele esbofeteia-me e bate-me,
E berra comigo ainda mais,
Eu liberto-me finalmente e corro até à porta.

Ele já a trancou.
Eu enrolo-me toda em bola,
Ele agarra em mim e lança-me contra o muro.

Eu caio no chão com os meus ossos quase partidos,
E o meu dia continua com horríveis
palavras...

"Eu lamento muito!", eu grito
Mas já é tarde de mais
O seu rosto tornou-se num ódio inimaginável.

O mal e as feridas mais e mais,
"Meu Deus por favor, tenha piedade!
Faz com que isto acabe por favor!"
E finalmente ele pára, e vai para a porta,

Enquanto eu fico deitada,
Imóvel no chão.

O meu nome é "Sara"
Tenho 3 anos,
Esta noite o meu pai *matou-me*.
video

16 de Outubro de 1940- Inicio do Gueto de Varsóvia

O Gueto de Varsóvia foi o maior gueto judaico estabelecido pela Alemanha Nazista na Polónia durante o Holocausto, na Segunda Guerra Mundial. Nos três anos da sua existência, a fome, doenças e as deportações para campos de extermínio reduziram a população de um total estimado de 380.000 para 70.000 habitantes. O Gueto de Varsóvia foi o palco da revolta do Gueto de Varsóvia, a primeira insurreição massiva contra a ocupação Nazi na Europa. Apesar disso, a maioria das pessoas que estiveram no Gueto de Varsóvia foi gaseada no campo de extermínio Nazi de Treblinka.
Imediatamente após a ocupação alemã da Polónia em 1939, os alemães começaram a planear o isolamento da população judaica de Varsóvia num gueto. Nessa altura, a administração do Generalgouvernment ainda não tinha sido completamente organizada, e havia interesses conflituosos entre os três principais poderes: a administração civil, o exército e a SS. Sob estas circunstâncias, o conselho judaico, ou Judenrat, liderado por Adam Czerniakow, conseguiu atrasar o estabelecimento do gueto por um ano, sobretudo apelando aos militares a considerar como os judeus eram um recurso laboral importante.
No entanto, o gueto acabou por ser estabelecido pelo Generalgouverneur alemão da Polónia Hans Frank em 16 de Outubro de 1940. Nesta altura, a população do gueto atingiu um montante estimado de 380.000 pessoas, cerca de 30% da população de Varsóvia, enquanto seu tamanho ocupava apenas 2,4% do território. Os judeus de toda a cidade foram obrigados a deslocar-se para este sector. Os nazistas fecharam então o acesso ao gueto de Varsóvia do resto da cidade em 16 de Novembro de 1940, construindo um muro em redor.
Durante o ano e meio seguinte, judeus de cidades e vilas menores foram trazidos para o gueto, enquanto doenças — como o tifo — e a fome (as rações para judeus eram oficialmente limitadas a apenas 184 kcal por dia, ao contrário das 1800 para polacos e 2400 para alemães em Varsóvia) mantiveram o número aproximado de habitantes.
Em 22 de Julho de 1942 teve início a expulsão em massa dos habitantes para os campos de extermínio. Nos 52 dias seguintes (até 21 de Setembro de 1942), cerca de 300.000 pessoas foram levadas para o campo de extermínio de Treblinka ou assassinadas mesmo em Varsóvia. Czerniakow tornou-se claramente deprimido com as deportações e suicidou-se em 23 de Julho. Os suicídios tornaram-se então muito freqüentes. O sogro de Marcel Reich-Ranicki foi um deles.
A situação dos restantes 55.000 ou 60.000 habitantes melhorou então ligeiramente. A fome acabou e as casas sobrelotadas tornaram-se agora vazias. Os judeus que puderam permanecer trabalhavam como escravos para fábricas alemãs dentro do Gueto ou viviam em fuga (o caso de Marcel Reich-Ranicki).
Durante os próximos 6 meses, aquilo que restava das diferentes organizações políticas foi unido sob um nome: ŻOB (Żydowska Organizacja Bojowa, Organização de luta judaica), liderado por Mordechaj Anielewicz, com entre 220 e 500 pessoas; outras 250-450 organizaram-se no ŻZW (Żydowski Związek Walki, União dos combatentes judeus). Os membros desses grupos não tinham ilusões sobre os planos dos alemães e preferiam morrer lutando. O seu armamento consistia sobretudo de pistolas, bombas caseiras e coquetéis molotov; o ŻZW estava mais bem armado, graças a melhores contactos com a resistência polonesa fora do gueto.

15 outubro, 2007

É Outono...


Só para ver se cola, só para ver se cola!!!!!

«O Ministério das Finanças admitiu a existência de uma gralha no Orçamento do Estado para 2008, que gerava benefícios aos pensionistas com reformas mais elevadas, num comunicado distribuído ontem à comunicação social.

A admissão da gralha no OE surge depois de vários órgãos de comunicação social terem noticiado que as alterações propostas no âmbito das deduções de IRS para os pensionistas teriam como efeito um benefício das reformas mais altas e uma penalização daqueles que aufiram pensões mais baixas.

Segundo o comunicado do Ministério, "está fora de questão a possibilidade de gerar qualquer benefício a titulares de rendimentos mais elevados". »
No Publico de 14-10-2007
Atenção, no orçamento de estado de 2009 deve voltar a mesma gralha, a ver se ninguem nota!!!
Há uns anos atráz, este pais vivia no mundo irreal dos três F's, Fátima Familia e Futebol, nos dias de hoje, voltamos aos F's, mas agora de um modo menos prestigiante, Futebol, Futebol...Fo(@#$%$#)

Pudera!! Não era inglês, nem conhecia ninguem no governo!!!

«Homem de 29 anos foi arrastado por uma onda na praia de Melides.

Os familiares de Filipe Alexandre Pinelas, o homem de 29 anos, com paralisia cerebral, que sábado foi arrastado por uma onda na praia de Melides (Grândola), manifestaram ontem à tarde ao DN a sua indignação contra o que dizem ser a "quase ausência de buscas" para encontrar o corpo, bem como a falta de apoio psicológico à mãe da vítima, de 55 anos, que estava inconsolável. As autoridades respondem que "em poucas situações do género foram usados tantos meios".»

In DN 15-10-2007

Problema; é de nacionalidade Portuguesa!!!
Solução; chamem a Sky News...

Uma dor de cotovelo...nunca vem só, em 2008 tambem não há visitinha!!!

«Papa pede aos peregrinos de Fátima que não o esqueçam.
Sumo Pontífice trocou viagem a Fátima pelo directo na TV italiana Bento XVI pediu ontem aos peregrinos de Fátima para nunca se esquecerem do Papa, durante uma ligação em directo através da Radiotelevisão Italiana, a partir da Praça de S. Pedro, em Roma. Exortou os fiéis no Santuário a rezar com ele, "fisicamente unidos pelos meios de comunicação social" e terminou a saudação em língua portuguesa incitando: "Nunca esqueçais o Papa."Os fiéis e crentes de Fátima esperavam, ao longo dos últimos três dias de peregrinação, a confirmação da sua visita ao Santuário e chegou a ser considerada essa possibilidade durante as comemoração dos 90 anos das aparições. Bento XVI declinou o convite e mandou em seu lugar a segunda figura da Santa Sé, o cardeal Bertone. »In DN 15-10-2007
«»
Eu julgo que sei onde reside o problema, é que não erigiram uma estátua em sua honra como fizeram com João Paulo II, uma dorzinha de cotovelo por o seu precedente angariar maior simpatia em todo o lado.


Ele só esquece é dos milhões de euros, que todos os anos voam para os cofres do Vaticano á custa deste santuário Mariano.
Mas também não faz cá falta nenhuma, só vinha cá para complicar ainda mais o transito...

Ele voltou, ELE VOOLLLLLLLTOOOOUUUUU..... para mais uma presidencia!?!!!??.

«Santana Lopes volta a contrariar os seus obituaristas políticos e está de volta à primeira linha do debate político nacional.
A liderança da bancada parlamentar do PSD dar-lhe-á a oportunidade para recuperar o brilho, embaciado, desde que ofereceu a maioria absoluta a José Sócrates e deixou o PSD de rastos, com uns meros 28,8% nas legislativas de 2005. »
In DN 15-10-2007

Afinal, já não anda por aí, ... é pena. Assim tambem não se estragam duas casas...Eu já há muito tempo que não acredito em nenhum destes sENHORES...Agora vamos é ver quem é que manda no Partido Social 'Destroçado'




15 de Outubro de 1815 - Exilio de Napoleão para a ilha de Santa Helena

Santa Helena é uma colónia britanica do Atlântico Sul, localizada praticamente a meio do oceano, mas geralmente englobada nos territórios africanos por se encontrar mais perto de África do que da América do Sul.


A colónia é constituída pela Ilha de Santa Helena e por duas dependências muito afastadas: Ascenção, a noroeste, e Tristão da Cunha, a sul. Relativamente à ilha de Santa Helena propriamente dita, o território mais próximo é a ilha de Ascenção, seguindo-se a costa africana do sul de Angola e do norte da Namibia, a leste. Capital: Jamestown.
A ilha foi descoberta em 1501 pelo navegador galego João da Nava, enquanto ao serviço de Portugal, João da Nova dirigia-se à Índia, tendo nessa viagem também descoberto a ilha de Ascenção.
Portugal nunca colonizou a ilha, que veio a ser ocupada pela marinha inglesa no século XIX. Napoleão Bonaparte faleceu exilado em Santa Helena. A indústria do turismo local explora muito este particular aspecto da história, bem como o calmo estilo de vida de sua população.
Curiosamente, Santa Helena não possui nenhuma praia, sendo o seu litoral completamente rochoso. Também por este motivo a ilha era utilizada como prisão. Não há uma saída fácil do interior da ilha, que não seja através da capital Jamestown.
«»«»
1769: Nasce em Ajácio, Córsega, em 15 de Agosto. - 1779: Escola militar de Brienne. - 1784: Artilheiro na escola militar de Paris. - 1789: Revolução Francesa; na Córsega, tem papel activo na resistência. - 1793: Comanda um batalhão de artilharia em Toulon. - 1794/95: Brigadeiro, participa na campanha de Itália. Comanda a guarnição de Paris, esmaga insurreição monárquica, salva a Convenção, que o designa general-em-chefe do exército do interior. - 1796/97: Comandante-em-chefe do exército de Itália. Casa com Josefina. Vitórias em Nice, Lodi, Milão, Arcole, Rivoli. - 1798: Campanha do Egipto. - 1799: É eleito primeiro cônsul. - 1800: Batalha de Marengo. - 1802: Cônsul vitalício. - 1804: Napoleão e Josefina coroados imperadores de França. - 1805: Batalhas de Trafalgar e de Austerlitz. - 1806: Em 21 de Novembro ordena o bloqueio a Inglaterra. - 1810: Casa com a princesa Maria Luísa de Áustria. - 1812: Invade a Rússia mas retira no Inverno. - 1814: Abdica em Abril; parte para a ilha de Elba. - 1815: Regressa a França; fuga de Luís XVIII. Cem dias de governo, derrota em Waterloo. Abdica. Exílio na ilha de Santa Helena, onde morre em 5 de Maio de 1821.

14 outubro, 2007

É , Outono...


14 de Outubro de 1810, os Franceses chegam á Linha de Torres


1810 - Durante a terceira invasão francesa, o exército luso-inglês toma posição nas Linhas de Torres Vedras
A 10 de Outubro de 1810, durante a terceira invasão francesa, o exército luso-inglês comandado pelo general Arthur Wellesley, toma posição nas Linhas de Torres Vedras, fortificação construída em segredo para deter a progressão, em território nacional, das forças napoleónicas do general Messena. Os franceses, com uma força de cerca de 65.000 homens, chegam às Linhas no dia 14 de Outubro, sendo derrotados.

13 outubro, 2007

Morreu Paulo Autran


O actor carioca Paulo Autran morreu esta sexta-feira aos 85 anos.
Nascido no Rio de Janeiro e formado pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (Universidade de São Paulo) em 1945, Paulo Autran chegou a abrir um escritório antes de assumir a carreira artística. Estreou-se em um palco (ainda amador) em 1947.

13 de Outubro 1972 - O Milagre dos Andes

Em 1972, o avião que transportava uma equipa de râguebi do Uruguai, os seus familiares e amigos, para um jogo no Chile, despenhou-se nos Andes. Vinte e nove pessoas, das quarenta e cinco que iam no avião, sobreviveram à queda, mas, no final, apenas dezasseis sobreviveram.
Mais de trinta anos depois, Nando Parrado, um dos sobreviventes, revela como lutou pela vida durante setenta e dois longos dias. Preso num glaciar árido a 3650 metros de altitude, sem provisões ou meios para pedir ajuda, lutando para suportar temperaturas gélidas, avalanches mortíferas, e, por fim, a notícia devastadora de que as buscas tinham terminado, Nando decide que ou voltava para casa ou morreria a tentá-lo.
"Não foi a inteligencia ou a coragem que nos salvou. Foi tão somente o amor. O amor pelas nossa famílias, pelas vidas que desejávamos tão desesperadamente viver."