Citador

14 abril, 2008

14 de Abril de 1912- Naufrágio do Titanic


Insubmergível diziam os jornais da época, majestoso como os Titãs da mitologia grega, assim se falava do Titanic a 12 de Abril de 1912 quando o navio pertencente á White Star Line saiu de Southampton (Inglaterra), na sua viagem inaugural a caminho de Nova Iorque onde pretendia chegar a 17 de Abril. Pelo meio aportaria em Cherbourg, na França, e Queenstown, Irlanda onde embarcariam mais passageiros. Seriam 2.227 almas entre homens, mulheres e crianças.
Luxuoso, pelo menos na 1ª classe, batia todos os grandes navios da sua época. Media 270 metros da proa á popa, era uma autentica cidade flutuante. Detinha o mais moderno sistema de comunicações inventado por Marconi.
Durante a viagem, sob o comando do capitão Edward J. Smith, chegaram-se a fazer apostas sobre a data de chegada a Nova Iorque. Responsável por não ter tomado as medidas correctas, mesmo recebendo diversos avisos sobre a existência de icebergs pelo caminho, Smith não se importa, mantêm a velocidade máxima (40km/h), e diz que o navio era grande demais para ser abatido por um iceberg.
Na noite de 14 de Abril, Smith vai descansar, deixando a William Murdoch, 1º oficial, o comando do navio.
Cerca das 23 horas e 4º minutos, o sino do navio toca assinalando a presença de algo na frente do mesmo, um iceberg. William Murdoch, ordena que se vire o máximo a estibordo e se fizesse marcha à ré a toda potência. Pecou por tardia não fazendo o efeito imediato necessário para a situação.
Parte da massa de gelo, acaba por romper o casco do Titanic, abrindo pequenos cortes e buracos em seis compartimentos estaques da proa, que foram invadidos pela água.
Os passageiros da terceira classe eram, na maioria, imigrantes que iam para a América em busca de uma chance de trabalho ou fugindo de um passado difícil em seus países, sendo os primeiros a sentir o naufrágio, eles estavam na parte mais baixa do navio.
Thomas Andrews, construtor do Titanic, calculou que o navio levaria cerca de duas horas a afundar. Smith ordena que se evacue a embarcação, esquecendo por momentos que só havia 20 botes salva-vidas com a capacidade máxima de 1.178 pessoas, para 2.227. Thomas Andrews optara por menos botes em detrimento da estética do Titanic.
A diferença de classes fez com que inicialmente os botes fossem lançados ao mar sem a sua lotação máxima atingida, isto por uma questão de conforto para os passageiros de 1ª classe.
No fim, apenas 706 passageiros conseguiram-se salvar. Às 2h20 da manhã do dia 15 de Abril, o Titanic desaparece sob as frias e negras águas do Atlântico Norte.
1521 Almas desapareceram nessa noite, sendo os restantes salvos pelo Carpathia, navio da Cunard que viria a absorver a White Star Line.

Carta de emigração encontrada em bom estado no Titanic

4 comentários:

Cris disse...

Oi, Caesar!Bem legal o histório sobre o naufrágio . Acreditas que não tive vontade de assistir o filme? Talvez pelo excesso de propaganda.
beijaõ.

Caesar disse...

Tambem não ví o filme, não por poder ter pesadelos.
Acredito que nenhum de nós consiga perceber o sofrimento dos passageiros do Titanic, em especial dos da ...ultima classe, os que registaram maior nº de mortes.
Obrigado pela visita.

Nicole disse...

Pooxa né =/
fico muito triste quando assisto o filme...Tomara que Deus tenha cada um deles lá com ele

Deise disse...

Ola,
meu nome é Deise...
eu tenho um jornal da epoca do titanic, ele veio de londres, conta tudo nele só q ele é tudo em ingles...
Gostaria de saber o valor dele... c alguem c interessar me manda um email: deise.belli@hotmail.com

bjao