Citador

21 outubro, 2006

Mais uma vez a culpa morre solteira.


''Acabaram em nada os seis meses de julgamento do processo do colapso da Ponte Hintze Ribeiro.''
CM 21-10-2006
É o que acontece quando os interesses políticos se sobrepõem às Leis da República e à necessidade de esclarecer necessidades do cidadão comum. Possivelmente se o autocarro acidentado fosse carregado de políticos, o desfecho não tivesse sido este, nem que o responsável que pela ultima vez pintou a ponte fosse condenado por homicídio qualificado.
--.--
''Politicos mais vigiados na lavagem de dinheiro''
CM 21-10-2006
Mas eles não passam a vida a lavar roupa suja? Agora já lavam dinheiro tambem?
Ou será que é o que eu penso, a nossa classe politica não presta mesmo!!

2 comentários:

Joaquim Baptista disse...

Caro Ceolino, hoje não concordo consigo. A ponte caiu e depois temos de arranjar culpados à força? Já parece a paródia à queda do avião do Sá Carneiro em que os técnicos dizem que foi acidente mas certos políticos teimam no atentado. Condenar os coitados dos engenheiros só servia para as familias ganharem uns milhares de euros de idemnização, nunca traziam os mortos de volta. Acho que o melhoe é deixarem de perder tempo com julgamentos idiotas destes e fazerem os possiveis para que tal não volte a acontecer. Já agora alguém ouviu falar de areeiros?

ceolino disse...

É verdade caro joaquim baptista, não podemos arranjar culpados voluntários e á força, mas o acidente só aconteceu por negligencia de alguem. Quem, não sei.
Dos gestores das barragens e dos seus caudais?
Os Espanhóis que qdo tem agua a mais despejam, qdo tem agua a menos fecham?
Dos areeiros?
Dos responsaveis da conservação das estradas e pontes nacionais?
O Estado português?

É claro que não podemos culpar os Engenheiros que projectaram a ponte. É claro que não podemos responsabilizar o empregado de manutenção pela queda da ponte, mas podemos responsabilizar o Estado por não cumprir as suas responsabilidades e não gerir a manutenção das vias como é o seu dever.
Cumpri o serviço militar em V.N.Gaia, durante cerca de um ano em 1991, nos 'périplos turisticos ' que fazia um deles levou-me um dia a atravessar essa mesma ponte, ponte essa que já nessa altura registava restrições á circulação de veiculos, e em que o proprio estado visual de conservação era lamentavel.

Ninguem fez nada desde essa altura até á data do acidente.