Citador

25 dezembro, 2006

Para reflexão neste dia de Natal...

Funeral sem benção.
A Igreja Católica recusou acompanhar o italiano que reclamava a morte há anos.
Mil e quinhentas pessoas encheram as ruas de Roma, Itália, para acompanhar o funeral do italiano Piergiorgio Welby que há anos reclamava o direito à eutanásia. A Igreja Católica recusou celebrar as cerimónias fúnebres.
O funeral do homem que lutou pela morte ultrapassou a esfera familiar. O padre da paróquia de Piergiorgio welby foi impedido de realizar a cerimónia relegiosa pela hierarquia católica. Indignadas com a posição da Igreja, milhares de pessoas quiseram manifestaram-se solidárais com a opção do sexagenário e da sua família. Piergiorgio Welby, com 60 anos, sofria de distrofia muscular desde a adolescência. Há anos que estava preso a uma cama devido à crescente paralisia dos músculos. Em Setembro, enviou uma carta ao Presidente italiano, depois recorreu aos tribunais. Queria que lhe desligassem o ventilador. A recusa do juíz foi conhecida sábado. A batalha de Piergiorgio Welby não foi ganha nos tribunais mas sim graças a um médico que o ajudou a morrer. Um "cocktail" de medicamentos permitiu a Welby falecer em casa, rodeado de familiares e amigos. O médico já se mostrou disponível para uma audiência com um magistrado. Apesar de correr o risco de ser condeando a 15 anos de prisão. Acredita que não violou a lei. A igreja tem uma leitura bem definida destes casos. Contra a eutanásia, defende os tratamentos paliativos.
Retirado de publicação diária

1 comentário:

Menina_marota disse...

Onde está o Amor e o Perdão, dos chamados "Senhores da Igreja"?

Como eu percebo este drama!!